COMPARTILHE

A modelo da Hadja Models Lisandra Francisco, demostrou descontentamento com os responsáveis da organização do Angola Fashion Week 2016, após ser afastada do desfile, sem justa causa. A revelação foi feita no programa “Viva Tarde” do ZAP Viva.

Inicialmente anunciada como uma das modelos a desfilar no “Angola Fashion Week 2016”, recentemente Lisandra Francisco ficou a saber que é “carta fora do baralho” para o maior evento da moda nacional, insatisfeita, a musa da Hadja Models, “apontou o dedo” a organização por diversos factores que a deixaram indignada, entre eles, o facto de ser excluída sem justificação, por terem usado a sua imagem em publicidades do evento e por estes a terem causado danos morais, uma vez que cancelou vários compromissos por alegadamente estar apenas focada no Angola Fashion Week.

Na mesma entrevista, a modelo apelou a organização que fosse mais directa com ela desde o inicio, e que tivesse a capacidade de se desculpar. Mas garantiu que o seu advogado já está a resolver a situação nos termos da lei.

Sem envolver o nome da sua agência para salvaguardar o trabalho de seus colegas que ainda fazem parte do elenco que vai desfilar nos três dias do evento, a modelo foi mais a fundo e manifestou o seu descontentamento pelo facto de praticamente serem os brasileiros a organizarem algo que segundo ela, há vários angolanos capacitados a o fazerem.

Isto é uma chamada de atenção aos angolanos que tiveram que contratar trinta brasileiros porque acham que nós não estamos capacitados para fazer, seriam angolanos que estão a precisar pois estamos em crise, há pessoas que já trabalhavam a anos no Angola Fashion Week e foram postos de parte” lamentou.

Ainda mais nesta época de crise, estariam a ajudar muitos desempregados, usando como exemplo o São Paulo Fashion Week que os brasileiros o fazem sem precisar contratar angolanos, por isso os angolanos mesmo pagando são submissos aos brasileiros que vieram trabalhar”, realçou Lisandra.

A modelo adiantou ainda que pretende continuar a trabalhar e seguir em frente com os seus projectos pessoais, deixando bem claro que está disponível para abraçar outros projectos ligados a moda, porque acredita que “não há maior justiça do que a de Deus”.

Deus sabe o que faz e o porque que isto aconteceu, fui alvo disto e não queria deixar passar assim”.

Apesar dos apesares, Lisandra ainda está disposta a voltar ao Angola Fashion Week 2017, mas acha que a organização não vai permitir, o que segunda ela, não a preocupa, por que não vive da moda e tem outros empreendimentos, ” isto não vai me fazer parar” terminou.

COMENTE PELO FACEBOOK

SEM COMENTÁRIOS